Terra Cinza

Terra Cinza teve como motivação e urgência algumas visitas à serra do Caldeirão durante dias de incêndios devastadores daquela paisagem. As relações e vivências ancestrais dos habitantes com a serra foram destruídas de forma violenta em poucos dias. A paisagem, a Terra Cinza, que resultou deste “inferno” tornou claro o sentido de um trabalho dominado por pouca e esbatida cor, muito cinzento e preto.

Através das fotografias das ruínas da mina de São Domingos a ausência da cor é levada ao extremo do preto e branco, retirando assim àquela paisagem, àquelas ruínas, um dos seus motivos de espanto e permitindo assim evidenciar outros, nem sempre “visíveis”. E assim foi construída este trabalho mostrado na Sociedade Portuguesa de Belas Artes (SNBA)  como sua representação na XII Bienal de Fotografia de Vila Franca de Xira.

O catálogo publicado pela SNBA tem textos do fotógrafo Nuno Calvet e do pintor e escultor José de Guimarães.

provas

provas fine art, dimensões variaveis.

‣ Versão deste artigo em: en ‣