Novas

Medusa

Medusa foi apresentado pela primeira vez em 2010 com o nome Who’s a jellyfish em formato multimédia em Londres numa apresentação da ASA Collective. Nesta sua versão inicial, Medusa parte da ideia de uma alforreca, seguindo as correntes do mar e podendo apenas alimentar-se da comida contactada nessas trajectórias da água, serviu de conceito para a edição deste trabalho.

Continuar a ler “Medusa”

Árvores estranhadas

Este trabalho pretendeu criar imagens de árvores estranhadas, tornadas estranhas, recorrendo aos meios tradicionais da fotografia a preto e branco. Assim, é questionada a nossa relação colonizadora com a paisagem, onde, para simplificar a complexidade natural, impomos os nossos padrões, que contribuem para a criação de uma paisagem global, ou seja, uma não paisagem, ou um não lugar. Através do aparecimento gradual da sua sombra, a árvore é aqui reduzida a um objecto simplificado e manipulável, percurso que o trabalho segue, para acabar na manipulação máxima, ao inverter a sombra da árvore.

Durante este trabalho, foram utilizados inicialmente enquadramentos apertados e cortantes, para realçar por um lado a complexidade e a densidade da natureza e por outro, de forma implícita, a já referida relação colonizadora. Esta relação implícita passa a explícita com o aparecimento da sombra da árvore, símbolo gráfico facilmente manipulável.

A partir da introdução das sombras, a árvore passa a figurar como símbolo, parte integrante de um equilíbrio. Neste sentido, torna-se relevante relembrar que o conceito de equilíbrio contempla um estado ao mesmo tempo estável e alterável. A utilização da máquina fotográfica – descendente da camera obscura – para criar imagens que podem ser invertidas e continuar plausíveis contribui também para essa ideia de um equilíbrio instável mas reversível.

Continuar a ler “Árvores estranhadas”

Aldeia Dupla

Aleia DuplaAldeia Dupla é título do catálogo da exposição com o mesmo nome inaugurada no Museu da Luz em 2013. Aldeia Dupla apresenta visões dos vários autores acerca do processo da mudança e reinstalação da comunidade da aldeia da Luz através da fotografia.

Fotografias de Afonso Alves, António Carrapato, Benjamim Enes Pereira, Fernando Guerra, Miguel Proença, Pedro Pacheco, textos de António Carrapato e Miguel Proença.

AAVV, Beja: Museu da Luz/ EDIA, 2014, ISBN 978-972-8666-16-3.

Alforreca no Charco – Fundação Calouste Gulbenkian, 13-14 Março 2015

FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKIAN, Miguel Proença; Rogério Paulo Silva e Henrique Vieira Ribeiro, FBAUL

Alforrreca no Charco é a peça com que participo neste congresso ao lado das obras de Rogério Paulo Silva e Henrique Vieira Ribeiro, entre outros.

Links:
Congresso da Cidadania
Site da Faculdade de Belas Artes – Eventos | Congresso da Cidadania 

Rogério Paulo Silva
Henrique Vieira Ribeiro

Fotografia – Ernesto de Sousa em Tavira

No contexto do evento Ernesto de Sousa em Tavira são apresentadas, com Isabel Alves, momentos charneira e ideias centrais do trabalho fotográfico deste fotógrafo/artista/operador estético.  Evento no Blogue da Casa das Artes de Tavira, artigo de Luísa Soares de Oliveira acerca da exposição de ES no CIAJG em Guimarães, site sobre Ernesto de Sousa, e ES na Wikipédia.